USPARTANOS?

O assunto ainda rende. Li hoje o post no Blog do Tico Santa Cruz defendendo o movimento estudantil. Vi também um texto no facebook sob autoria de um aluno chamado Jannerson Xavier, que tenta ditar quais sãos as verdadeiras exigências dos alunos da USP. Embaixo deixarei os links para quem queira se informar melhor.

Os dois textos possuem muito em comum. Eles procuram, em meio ao caos e desorganização dos estudantes, encontrar o verdadeiro fundamento daquele manifesto, o que se tornou uma tarefa tão difícil quanto encontrar uma agulha em um palheiro.

Em sua declaração, Jannerson Xavier alega que o movimento não tem relação com o uso ou não de entorpecentes, mas no mesmo parágrafo afirma que o tema é abordado por alguns grupos ligados a manifestação e que a prisão de três alunos usuários da substância foi o estopim para realização do manifesto. Ele também afirma que o movimento é composto por diferentes grupos com diferentes opiniões e que as atitudes de minorias não devem ser generalizadas, nem deslegitimar o protesto.

Tico Santa Cruz traz novidades ainda mais curiosas. Resumindo, ele afirma que o movimento dos alunos foi um ato político, um ato de revolta contra o atual reitor da universidade João Grandino Rodas.

Há apenas um problema nos dois textos: São tendenciosos demais. Os dois autores se preocupam demais em defender os alunos, e acabam culpando a mídia manipuladora por divulgar informações deturpadas, quando as imagens falam por si só.

Por mais nobres que tenham se tornado o fundamento da revolta, os fatos mostram que o movimento foi claramente desorganizado e anárquico. Enquanto o texto do aluno Jannerson Xavier fala em minorias, as imagens mostram a maioria dos alunos invadindo a reitoria e depredando o local. Enquanto o Tico Santa Cruz fala em mídia conspiratória, os alunos agridem jornalistas que cobrem o ocorrido.

 

Enquanto Tico e Jannerson classificam o movimento como pacífico e político, enquanto culpam a mídia manipuladora, vejam esse vídeo postado no youtube mostrando os estudantes simpatizantes a manifestação impedindo outros alunos de entrarem em suas salas de aula para estudar!!!

 

 

Fonte:

http://bloglog.globo.com/ticosantacruz/#

http://www.facebook.com/notes/jannerson-xavier/esclarecendo-o-caso-usp-pra-quem-v%C3%AA-de-fora/2459499642739

 

@vampirobira

A Fachada do Movimento Anárquico-Estudantil

A descriminalização da droga se tornou uma fachada para o movimento anárquico-estudantil realizado pelos alunos da USP. Eu, como vampiro, queria apenas entender qual era a intenção desses humanos com uma ação tão agressiva e desorganizada.

Afinal, como uma mobilização que visa a descriminalização de um grupo é composta de atos marginais pelo mesmo? Quando você arromba o local aonde você estuda, quebra e bagunça, esconde o rosto com uma camisa e pincha uma parede, você está, antes de mais nada, cometendo um ato de vandalismo.

E vou além disso. A descriminalização da droga é um assunto que não é diretamente ligado a esse movimento. A maconha, além de ser prejudicial a saúde, é uma substância alucinógena e embriagante, e o seu uso deve ser proibido em qualquer instituição de ensino, seja ela pública ou particular.

Não só a maconha, mas qualquer outra substância que comprometa a capacidade de aprendizado do aluno, deve ter seu uso desencorajado e proibido dentro de escolas e universidades. Seja essa substância lícita ou não. Os alunos estão ali para aprender, para se tornarem profissionais competentes.

Vampiro Bira

O Movimento Estudantil de Hoje

Como o tempo passa rápido para nós vampiros…

Me lembro como se fosse ontem…

Os movimentos estudantis desafiavam a polícia e o exército reivindicando seus direitos civis e democráticos!

Hoje, enquanto o Brasil implode com a corrupção, o jovem universitário que é a fagulha de esperança de salvação da nossa nação, se revolta com a Polícia Militar no campus da faculdade…

Tudo isso apenas para poder fumar seu baseado em paz!

Vampiro Bira

Medo do Barão?

Saudações, mortais apetitosos! Gostaria de fazer uma pergunta a todos vocês: Olhando a realidade a sua volta, ela não te dá medo? Eu fico aqui pensando, perplexo, e chego a conclusão de que vocês não deveriam se preocupar conosco. Vocês já possuem problemas tão graves, que acho que a nossa existência seria simplesmente insignificante em suas vidas.

O vídeo acima conta a história do Barão do Rio São Francisco. Uma história que comprova a ferida cultural que se abriu nesse povo depois de longos anos de descaso da classe política nacional. Os brasileiros passaram tanto tempo esquecidos de seus governantes, que hoje se tornaram cidadãos carentes. Quando digo carentes, me refiro a tudo (saúde, educação, segurança, saneamento, etc.), mas principalmente, carentes de atenção.

Nos últimos anos, houve uma revolução política invisível no Brasil. Os governantes entenderam que quando a população gritava por seus direitos, ela queria na verdade apenas ser notada pelo governo. De alguma maneira, elas se sentiam excluídas pelo sistema e queriam fazer parte dele. Aí surge uma maneira predominante de manipular as massas: A política assistencialista.

O povo, antes esquecido, agora recebe toda a atenção do governo através de bolsas, cotas, auxílios, etc. No fim do processo, o povo se sente realizado, vendendo seu bem mais valioso (o voto) por migalhas.

Resumindo, é isso o que acontece em Traipu. O prefeito da cidade distribuiu pequenos benefícios a população, e ela em troca o elegeu várias vezes. Todos se sentiram felizes com a troca. Isso é revoltante? Sim. Mas isso dá medo? Se compararmos as devidas proporções, veremos que esse prefeito não é tão diferente do último presidente que ésta nação teve. Lula se consagrou o homem do povo no Brasil fazendo exatamente a mesma coisa, e isso sim dá medo!

Chupadelas!

Vampiro Bira

A dura não-vida de um vampiro brasileiro!

Antes de mais nada, quero primeiro tranqüilizar a todos: Nós, vampiros, somos legais! Hoje, nos empenhamos arduamente para desfazer uma imagem distorcida criada pelo fanatismo religioso e pela atual mídia sensacionalista. Nós não somos assassinos frios e cruéis! Não somos monstros! Somos apenas mortos-vivos que tentam levar a não-vida de uma maneira tranquila e normal.

Hoje, a não-vida para o vampiro ficou difícil. Ainda mais para nós, que moramos aqui no Rio de Janeiro! Vivemos na cidade com as mais belas mulheres do mundo. Elas desfilam seus corpos malhados e siliniconizados todas as manhãs. Com roupas tão curtas que poderiam ser até consideradas íntimas. Enquanto isso, nós amaldiçoados, somos privados desse momento magnífico e farpador do dia. Estamos fadados apenas a sair durante a noite.

Nós sofremos preconceitos todos os dias. Somos excluídos de tudo, até mesmo do governo! Afinal, só porquê nós vampiros não temos filhos, não podemos ter o bolsa família? O nosso custo de vida é muito alto, sabia?! Nossa conta de luz é bem mais alta que a média. E pra se alimentar então? Se alguém nos vê na rua, já corre! Isso se não vier jogar alho ou água benta. A bolsa de sangue no mercado negro ta caro, sabia seus governantes?! Cadê os nossos direitos? Eu quero minha bolsa sanguínea já!!!

Ah, mas vampiros não votam né… :B

Por Vampiro Bira

Saudações, meros mortais!

            Saudações, meros mortais! Depois de centenas de anos em oculto, “vivendo” escondido de tudo e de todos, venho finalmente me revelar ao mundo!

Me chamo Bira. Sou um vampiro, e “vivo” no Brasil à muito, muito tempo. Criei esse espaço para dividir com vocês, suculentas bolsas de sangue ambulantes, toda a experiência que adquiri durante a minha não-vida, e também para convidá-los a um olhar mais próximo da nossa espécie.   

Optei pela internet como meio de comunicação, pois é uma ferramenta que me possibilita interagir com o mundo de uma maneira anônima, mantendo a minha verdadeira identidade em sigilo. Afinal, quem quer um bando de desocupados com tochas, crucifixos e estacas batendo em sua porta todos os dias?

Irei expressar aqui minhas opiniões sobre os temas mais polêmicos (incluindo mamilos!) que assombram a humanidade. Espero que essas discussões estreitem o nosso relacionamento, e que com o tempo vocês enxerguem que não somos inimigos. Vocês são apenas nosso alimento.

 

Fiquem calmos! Não se assustem. Quando digo alimento, não digo que vocês são apenas nosso gado. Vocês estão mais para nossas… Galinhas! O que nós precisamos para viver, vocês produzem naturalmente. Por isso, para nós, é importante que vocês humanos tenham uma vida longa e saudável. Um fazendeiro mata a galinha depois que ela põe um ovo? Não! Então porquê nós mataríamos vocês depois de darmos uma chupadinha? Entendam uma coisa: Não é porquê nós nos alimentamos de vocês que nós temos que matá-los! 

Bem, por enquanto é isso.

Vamos nos limitar apenas a apresentação por enquanto.

Em breve postarei algo novo.

Obrigado pela atenção.

Com carinho, o seu mais novo amigo…

 

Vampiro Bira.